segunda-feira, 21 de julho de 2014

Vegetação em destaque: Mini-bambus

Conhece o mini-bambu??

Esta espécie rústica e bem adaptada ao clima litorâneo, cresce em touceiras de até 60 cm de altura e cerca de 50 cm de diâmetro; permanece verde o ano inteiro, com ramos leves e movimento com os ventos; pode ser cultivada a sol pleno desde que bem irrigada, mas prefere meia-sombra onde se torna verde-limão. Eu uso esta espécie em meus projetos de jardins, como forração verde e bordaduras de canteiros, como plantios de maciços em acabamentos e rodapés de muros e paredes.


 Volume e movimento aos canteiros

 Detalhe dos caules e folhas do mini-bambu

 Rodapés verdes de mini-bambu em muro de jardim e bordadura de canteiro (abaixo)


Mini-bambu em fonte na pousada Toca da Lagoa (Barra da Ibiraquera/SC)

Abraço a todos,

sábado, 3 de maio de 2014

Jardins em Imbituba: Fotos do verão 2014

Primavera e verão são as épocas do ano onde as temperaturas começam a subir e os dias ficam mais longos, e isto se traduz em crescimento, desenvolvimento e floração das espécies que compõe os jardins. É quando tudo cresce e onde os jardins, quando saudáveis e bem cuidados ao longo do ano, mostram toda sua beleza.










Projetos de jardins, reformas e/ou canteiros assinados por Marcos Paulo Ribeiro. Todos os jardins são mantidos pela equipe TERRA PRETA em planos anuais de manutenção de jardins em Imbituba/SC.

Abraço a todos,

sábado, 15 de março de 2014

Trabalhos em destaque: Jardins verticais

Já ouviu falar em jardins verticais? Ou jardins de parede?
Pois é.... os jardins verticais estão em alta e são jardins montados em muros ou paredes como opção de paisagismo em corredores estreitos e locais limitados pela obra, ambientes internos ou quando precisamos de isolamento térmico ou acústico.

Muro interno com jardim vertical de vasos de parede (Ripsalis e samambaias-Boston) na Pousada Toca da Lagoa:

Hoje em dia temos várias opções no mercado para montar jardins verticais, desde vasos plásticos e de cerâmica, placas de polímeros com manta bidim em sanduíche, madeira tratada e estruturas fixas de cerâmica e concreto pre-moldado. A escolha deve levar em conta os custos, o local da implantação (interno ou externo) e o clima (intempéries) e a intensidade da obra. Peças de cerâmica e alvenaria dão mais mão-de-obra na instalação/obra mas são mais duráveis e resistentes; já peças plásticas e com manta bidim funcionam melhor em locais a meia-sombra e são mais frágeis em regiões de muito vento, mas tem instalação mais limpa e rápida.


Jardim vertical executado com peças de cerâmica e madeiras em treliças deixando o jardim mais leve, diversificado e com menor custo/tempo de implantação.
O importante é vegetar bem os jardins verticais, fazer a escolha certa das espécies e do substrato de plantio e cuidar da irrigação para termos o resultado final esperado: Um belo jardim onde antes era apenas uma parede ou um muro vazio, criando mais um elemento para compor a paisagem exterior.

A TERRA PRETA elabora projetos e executa obras e plantios de jardins verticais, sob medida para necessidade da sua obra, mesclando materiais diversos e usando as espécies corretas na montagem do jardim vertical.

Um abraço a todos,

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

TERRA PRETA PAISAGISMO na mídia



A edição 88 da revista Plantas, Flores e Jardins (dezembro de 2013) traz reportagem sobre canteiros no paisagismo, onde uma das fotos é de um recanto do projeto elaborado por mim, para um biombo e canteiro de rodapé, em residência na Barra da Ibiraquera-Imbituba/SC.


No projeto de paisagismo à beira mar, um biombo de toras tratadas da TerraSol esconde a vista da área de serviço, e cria espaço para canteiro informal, rasteiro, com espécies rústicas como: Agave, Palmeira-Jerivá, mini-bambus e bromélias de sol do Viveiro Verde. A área é forrada com seixos de rio creme criando drenagem e contraste com o gramado.


Ainda na reportagem, eu explico um pouco sobre o uso de canteiros no paisagismo;

“Canteiros podem ser formais, separados da grama e com forrações vivas ou inertes. Mas podem também ser livres, pontuando espaços com cores e texturas dos elementos escolhidos para contornar a vegetação.” Vários aspectos influenciam na composição dos canteiros, além do desenho e volumetria, condições climáticas, insolação e ventos também devem ser fatores determinantes para o sucesso dos canteiros e das composições.

Confira o site da revista em: http://www.escala.com.br/Revista-Plantas-Flores-e-Jardins-Ed-88/p

Um abraço à todos,

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Projeto em destaque: Seixos, madeira e funcionalidade

Na criação deste jardim, usei linhas orgânicas para amenizar a geometria da construção, onde curvas de seixos-de-rio contrastam com o verde da grama esmeralda; espécies espigadas como a Strelitzia e o "Mini-bambu" ressaltam as formas geométricas de "Pitanga-anã" (espécies brasileira) usada topiada.

 Detalhe do caminho principal, usando madeiras de Itaúba e seixos-de-rio creme como forração, dando boa drenagem, imponência e ótimo contraste ao jardim frontal.

Canteiros laterais tem composição tropical com Heliconia e "Clorofito"; Dracenas e "Palmeiras-Jerivá" completam a paisagem. Um banco foi instado no jardim e boa parte do gramado foi deixada livre para as brincadeiras das crianças. Muros foram revestidos de verde com "Bambus-Metake" e Thunbergia erecta, e cor vinho do Phormium dá boas-vindas à quem chega na casa.

Nos fundos canteiro de "Mini-bambus" topiados separam o jardim dos fundos do canil, onde foram plantadas frutíferas que remetem à infância do proprietário, como a "Goiabeira" e a "Ameixeira".
Uma horta suspensa em angelim para cultivar os temperos do dia-a-dia dá toque rustico na área dos fundos.

Abraço a todos,

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Projeto em destaque: Jardim para descansar

O que era uma quadra de areia para volei de praia, com o paisagismo e arquitetura, se transformou em um lindo jardim tropical com ares orientais. O jardim pertence à pousada IbiraWave, na Barra da Ibiraquera. O jardim do café tem detalhes em bambu tratado, vegetação tropical e colorida o ano todo, e a fonte de água corrente que é o destaque na paisagem.
 
A fonte tem mini-bambus e Cicas como complemento mesclando ar oriental e clima tropical de praia, onde um Buda é o elemento principal e o guardião do espaço. Detalhe da fonte: a água corre de calhas de bambuaçú dos pontos cardeais Norte, Sul, Leste e Oeste para a fonte; fazendo circulação, aeração e filtragem da água;

Biombos em bambus tratados criam privacidade e vegetação de grande porte dá sensação agradável de estar em meio à natureza. Luminárias balinesas em madeira criam clima de praia e seixos-de-rio fazem forração dos caminhos e drenagens nas bordas dos deques.

O espaço criado se tornou ideal para relaxamento, horas de leitura ou de descanso ao sol, e é muito usado para os cafés da manhã dos hóspedes durante a temporada de verão. Com o paisagismo o jardim se tornou além de belo, muito útil; dando mais opção de lazer aos usuários da pousada e do café.

Abraço a todos,

quarta-feira, 20 de março de 2013

Jardins e Poesia

Ontem estava lendo um dos meus livros antigos e encontrei este poema.

Poesia curta mas cheia de significado, que traduz a diferença que o espectador
faz no espetáculo da natureza e dos jardins. Nos faz pensar....

Poesia do imortal mestre Mario Quintana, segue abaixo:

Jardim Interior

Todos os jardins deviam ser fechados,
com altos muro de um cinza muito pálido,
onde uma fonte pudesse cantar sozinha
entre o vermelho dos cravos.


O que mata um jardim não é mesmo
alguma ausência, nem o abandono...
O que mata um jardim é esse olhar vazio
de quem por eles passa indiferente.



Abraço a todos,

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Novas Idéias: Escritório no Jardim

Quando pensamos em um jardim, logo lembramos do verde, da vegetação, sombra ou sol, e momentos agradáveis e de relaxamento. E quando pensamos em trabalho, o que sentimos? Bom, parecem sentimentos antagônicos, um remete a descanso e lazer; ja o ultimo lembra responsabilidade, horários e comprometimento, mas podem ser complementares você acredita? 
Podemos criar ambientes de trabalho mais harmônicos e agradáveis, unindo relaxamento, a Natureza e escritório. Esta foi a idéia do "escritório de jardim" nas fotos abaixo:




Ventilação e controle térmico natural pelas sombras de arvores e própria circulação de ar no jardim.
Note que o escritório tem 3x4 e ficou toralmente integrado à vegetação do entorno. A vista é do jardim, vegetação, com som dos pássaros. Da até pra pegar um solzinho entre as tarefas....






Abraço a todos,

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Projeto em destaque: Jardim, deque e piscina

O desafio deste projeto foi criar um jardim, com piscina, um deque e área de lazer/convívio em um jardim de espaço reduzido. O estudo preliminar levantou os problemas e desafios para serem solucionados pelo projeto de paisagismo. Além do pequeno espaço e a instalação de uma piscina média (8x4 metros), o terreno é arenoso e alagado (beira de lagoa) e tive que pensar na privacidade para o uso das áreas de deque e da piscina. Foram instalados fossos de drenagem sob o gramado para evitar alagamentos e o solo sob o deque foi rebaixado (cota mais baixa) a fim de captar águas superficiais. Abaixo fotos da área antes do projeto de paisagismo:


Foi projetado deque como área de lazer, contrastando com piso branco-gelo antiderrapante na borda da piscina. Para privacidade foram criados painéis (biombos) em ripas de Pinus tratado da TerraSol, que solucionaram o problema. O deque tem formatos orgânicos, sinuosos e o degrau em curva é o destaque. Bolachões em madeira tratada formam caminho até a residencia; um chuveirão foi instalado ao lado da piscina e bancos e moveis em madeira de demolição, criam um recanto de descanso à sombra. Abaixo as fotos do antes e depois do recanto:



Foram usadas palmeiras Areca de Loucuba como elementos verticais, Pleomeles variegata dando cor e contraste, Margaridas-do-Cabo, Mini-bambus, Bambu-de-jardim e Clorofito complementam a paisagem (mudas do Viveiro Verde do Rosa). Forrações naturais como casca de Pinus e seixos-de-rio dão contraste e acabamento aos canteiros e área de garagem/estacionamento.Abaixo fotos da piscina, detalhes dos painéis-biombos criados para privacidade e degrau em curva, bolachões e visual geral da fachada.





Com o projeto a familia ganhou área de lazer ao ar livre, áreas de sol e de sombra e muitas horas de convivio e diversão com a piscina. O jardim ficou organizado e útil; e confere bem-estar e qualidade de vida aos usuários do espaço: com piscina, áreas de lazer, circulação, recantos de relaxamento e garagem.

Abraço a todos,
Marcos Paulo

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Paisagismo Urbano - Desafios e Soluções

"A paisagem urbana é o território onde vivemos nas cidades, com a marca cultural de cada sociedade impressa nos elementos e vegetação desta paisagem criada. Neste cenário o papel da vegetação urbana é integrar espaço construído, jardins e parques, criando uma paisagem contínua, tentando amenizar os efeitos e a aparência das contruções, inserindo as cidades no meio natural."

Os desafios são muitos e a vegetação desempenha funções como o controle do clima e da poluição, conservação da água, redução da erosão e economia de energia. Além disto promovem a biodiversidade e o bem estar dos habitantes, valorizam as áreas, podem servir como complementação alimentar para populações de  baixa renda e fonte de remédio fitoterápicos.

Hoje temos uma gama de estudos na área de paisagismo urbano, que estão por trás de um projeto de paisagismo para uma cidade, que vão muito além da estética, aromas ou preferências culturais. Na concepção e elaboração do projeto e na escolha da vegetação, existem diversos cálculos que incluem variáveis como:
  • a incidência de luz solar nas ruas, 
  • a transmitância de copa de cada espécie escolhida, 
  • a circulação de ar e umidade, 
  • as trocas de calor convectivo e sensível pela vegetação e construções urbanas, 
  • fator de céu visível de cada rua a ser trabalhada com vegetação. 
Portanto o paisagismo urbano é uma matéria complexa; aliando ciência e arte, e é uma pena ver tantos erros cometidos em obras públicas e plantios, e principalmente na administração dos recursos paisagísticos públicos e da paisagem urbana, interferindo de forma negativa nas cidades e na vida dos usuários dos espaços públicos. Erros de projeto e de escolha das espécies, criam problemas futuros com ainda mais desperdício de recursos públicos. Isto torna a vegetação urbana uma fonte de gastos e entraves ao contrário de ser a solução de diversos problemas do desenvolvimento urbano brasileiro.


Pensando numa realidade bem à frente, exemplos de revitalização do espaço urbano por paisagismo são cada vez mais frequentes em cidades como Nova Iorque, Berlim ou Pequim. Postei algumas fotos de exemplos positivos de paisagismo urbano: acima Porto Alegre com um bom investimento na administração da infraestrutura paisagistica e sua rua considerada "a mais arborizada do Mundo em concurso" e jardim "teto verde" em ônibus urbano. Abaixo algumas fotos de trechos do jardim "HighLine", área abandonada de antigos viadutos e trilhos elevados em Nova Iorque, recentemente revitalizada com paisagismo, servindo como parque e área de lazer interligando vários bairros e a paisagem urbana; e fotos de "prédio verde" urbanizando e vegetando ao mesmo tempo.

   


Quem quiser ver muito mais fotos, e tudo sobre o jardim High Line em Nova York acesse:

http://www.thehighline.org/galleries/images/high-line-park-photos

Abraço a todos,